Pesquisa a nível nacional para uma trajetória evolutiva da profissão de Técnico de Radiologia em Portugal

  • Manuel Lobo Unidade Local de Saúde do Nordeste / APIMR
  • Rui Almeida Clínica de Radiologia de Albufeira / Escola Superior de Saúde da Universidade do Algarve / APIMR
Palavras-chave: Técnico de Radiologia, Imagem Médica e Radioterapia, Profissão, Ensino, Formação Contínua, Desenvolvimento Profissional

Resumo

Introdução: As recentes alterações significativas verificadas ao nível do Ensino, a confusão burocrática e legislativa que veio a ser evidenciada pela fusão de 3 cursos numa única licenciatura (IMR) e a ausência de mecanismos de regulação e controlo na profissão, remete, obrigatoriamente, para uma necessidade da sua consolidação e estabilidade. Assim, este estudo pretendeu explorar e analisar a perceção dos Técnicos de Radiologia sobre o estado da arte do ensino e da profissão e sobre e sobre as suas legítimas expetativas.
Materiais e Métodos: Um questionário previamente validado foi distribuído eletronicamente a todos os coordenadores dos serviços de imagiologia públicos e privados de Portugal, tendo sido solicitada a sua divulgação interna aos Técnicos de Radiologia. Foram obtidos 251 questionários válidos para efeitos de análise e tratamento estatístico.
Resultados: Na opinião dos Técnicos de Radiologia, a atual licenciatura em IMR não permitiu melhorar os conhecimentos, competências e atitudes dos profissionais (x=2.09±1.036), tendo sido observadas diferenças estatisticamente significativas entre os Técnicos de Radiologia licenciados em Radiologia e os licenciados em IMR (U=1913.5; p=0.000). Para 70% dos inquiridos, também o grau de preparação dos alunos de IMR é menor, sendo que nenhum inquirido selecionou a opção 5 da escala (mais preparados em relação ao ciclo de estudos anterior).
Conclusão: Na perceção dos Técnicos de Radiologia, o caminho da especialização profissional e da formação contínua obrigatória são requisitos essenciais à consolidação da profissão e ao seu reconhecimento social. Para tal, é fundamental a existência de uma ordem profissional que regule e represente devidamente a profissão.

Publicado
2021-01-21
Secção
Artigos Científicos